DIÁRIO DE BORDO DE UM PRINCIPIANTE – SOMBRAS DE MORDOR – DIA 2

Depois dos eventos do dia anterior dei uma paradinha no jogo, e quando reiniciei descobri que a enrascada de estar cercado por orcs em que eu tinha me metido estava resolvida, pela mágica do save point, pois as o jogo quando reinicia te joga de volta para para a última torre que você utilizou, no meu caso a única.

Retomei a jornada dali então para aquecer eu fui atrás de algumas marcas menores no mapa comecei pela chamada Lendas da Adaga, o interessante é que achei que a missão se localizava no local em questão, mas o existe ali é um gatilho para a missão, uma ferramenta interessante,quando ativei a missão algumas marcas apareceram no mapa, fui até o local, ataquei todos os alvos marcados com aquele apontador amarelo mas o tempo não parou de correr, esqueci de mencionar que a missão tem um tempo 2 minutos, então resolvi ler o objetivo da missão e percebi que deveria matar os inimigos sorrateiramente, ou seja não deveria ter distribuído espadada em todo mundo.

Facepalm
Quê ta achando que isso aqui é ? Dinasty Warrior

Então tive que começar a missão novamente, desta vez fui um pouco mais efetivo, num momento bem Assassins Creed, achando o local certo para se aproximar, os orcs nem sabem o que atingiu eles.  chegou a hora da recompensa pela missão,  ganhei um nova runa para adaga, mais ou menos o equivalente as missões RA no Batman, as runas ficam como slots de habilidade que você atribuir a uma arma, temos a Espada, o Arco e a Adaga, não sei se isso muda durante o jogo, mas é um kit armas bem completo eu diria.

Seguindo dali, achei mais uma pequena marca no mapa indicando o que parecia ser uma missão, na verdade são itens colecionáveis e nele tem uma pequena marca de espectro (esse é o nome das coisas e pessoas fantasmagóricas pelo mundo) e nesta marca algo como uma lembrança do passado, a princípio acho que isso é igual o tomb raider, neste caso são apenas colecionáveis, descobrirei isso ma

Porta de Minas Moria

is para a frente. olhando de novo no mapa uma marca indicava um outro item, tentei chegar até ele sem ser visto pelos orcs, mas com a minha perícia tudo deu errado e  tive que enfrentar vários deles para chegar até a parede indicada no mapa, no alto dela tinha um símbolo quando coletei entendi eles devem fazer parte de um quebra cabeça parecido o dos Portões de Moria nos livros do Senhor dos Anéis.

 Eu estou muito curioso para conseguir todas as peças dessa missão, como neste jogo parece que este itens vão aparecendo pelo mapa quando você encontra as torres eu acho que não vou ter muitos problemas para achá-los.

Olhando de novo para este pequeno pedaço do mapa só tinha mais um local, com símbolo parecido com o dos itens colecionáveis mas este no caso era amarelo, e claro que quando cheguei perto da marca tinha orcs cercando o lugar, é claro que tivemos que dar um coro neles e nisso aproveitamos para interrogar alguns e conseguir mais informações sobre os capitães. consegui chegar até o gatilho da missão e começo tendo que seguir as pegadas de Gollum, eu achei que teria problemas para seguir o Gollum pelas paredes mas Talion pula muito alto então aqueles paredões não são nada no final das contas seguindo as pegadas percebi que tínhamos que libertar mais alguns escravos no caminho, o modo furtivo do jogo é muito bonzinho e algumas vezes eu matei guardas um do lado do outro sem nem um alerta de ser visto aparecer na tela e continuamos segundo Gollum até uma caverna

logo que entro dou de cara com o capeta em forma de cachorro

 

Caragors –
Olha que sorriso lindo

 no meio do susto descobri que dá para matar ele com uma boa flechada da boca ok, continuamos  andando encontro com o Gollum mas ele foge e deixa cair um medalhão quando tocamos ele recebemos algumas memórias do nosso espectro do elfo, parece que descobrir as memórias pode ajudar agente a descobrir o que aconteceu ou mesmo quem é o Elfo espectro que nos acompanha. Continuamos a seguir Gollum até fora la fora do outro lado caverna e dei de cara com um grupo de orcs um deles pode jogar lança agora, mas eles não são o problema, atrás deles veio um outro cão do inferno, que me matou, mas para minha alegria o jogo é bonzinho e só me fez repetir a parte da luta contra os orcs e o cachorrinho do tinhoso,  desta vez tirei alguns orcs do caminho na base da flechada, (até que estou ficando melhor nisso) o que deixou a luta um tantinho mais fácil. acabando com estes hora de procurar o Gollum de novo, achei ele embaixo de uma pedra escondido o miserável me deu uma mordida, (eu espero que ele não tenha raiva), aparentemente ele consegue ver e ouvir o Elfo espectro (mestre brilhante – como o Gollum chama ele) agora Gollum vai procurar algum outros artefatos do elfo para a gente tentar reconstruir a memória dele . Explorei mais um pouco ali, e fui a até então segunda torre, eu estava certo sobre a funcionalidade delas assim como no assassins creed ela te mostra outros objetivos no mapa, fui atrás de algumas outras runas da porta e artefatos quando dou de cara com Um dos capitães, e não estava na minha lista , o nome era  Otha Queima-Carne (Bom nome para dar para um churrasqueiro né) veio com um grupo de arqueiros e flechas explosivos, foi complicado e eu corri para todos os lados antes de acabar com ele, mas não morri 🙂 mas tive que esfolar o dedo de tão rápido que apertava o botão depois disso quase morto também aprendi que o nosso elfo pode coletar plantinhas espectrais para me curar eu tava precisando ou não já que aprendi que dava para roubar um pouquinho no jogo já que eu podia retornar para a última torre com “fast travel” e me recuperar la sem ter que caminhar quase sem vida pelos orcs nojentos.

Queima carne me deu uma runa lendária para o arco,  estranhamente não constava e não consta na lista de capitães o que quer dizer que tem mais capitães do que o que estão ali na lista então o jogo é maior do que o que estou vendo (adorei).

A cada surpresa desse jogo eu fico mais animado

Dali da torre já cansado olhando envolta e no mapa resolvi explorar mais um pouquinho antes de fechar o jogo  estava indo até uma runas do portão quando com a visão de espectro vejo uma sombra em vermelho entre os orcs (é o que eu tô pensando ??) sim um dos capitães Narûg, o Sedento, vou na direção dele mas pelas minhas costas o que me ataca nesta hora os cachorrinhos do satanais de novo ;( consegui me livrar dele e dos ocs em volta, quando vou até onde estava o capitão  o miseravi estava correndo não sei se de mim ou atrás dos escravos mas só tinha um jeito de alcançar ele, na base da flecha quando fiz isso ele parou e veio me desafiar, o combo dele era diferente o botão de contra-ataque só conseguia bloquear seu golpe e ele já dava 3 de uma vez, foi uma luta sensacional mas nosso amigo não tinha informações então só cortei a cabeça do maldito. de novo quase morto resolvi que devia colocar um pouquinho de pontos de experiência em pontos de vida, aí resolvi voltar para a torre para descansar um pouco.

Para onde iremos no próximo episódio, seria o Elfo apenas meu amigo imaginário, feijão é por cima ou por baixo do arroz isso e muito mais no nosso próximo episódio

Facebooktwitterredditpinterest

2 respostas para “DIÁRIO DE BORDO DE UM PRINCIPIANTE – SOMBRAS DE MORDOR – DIA 2”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *